Cadáver - Carne dada aos vermes



A jandaia cantava ainda no olho do coqueiro; mas não repetia já o mavioso nome de Iracema: Tudo passa sobre a terra. Assim o escritor brasileiro José de Alencar termina um de seus livros mais importantes. 

A morte faz parte do processo natural da vida
 A tempo de nascer, mas a tempo de morrer

Quem está preparado para o ultimo suspiro? Quem está pronto para a sepultura? Quem está maduro para encontrar-se com o Criador? Quem? 

Não há nada mais importante na vida do que estar preparado para a morte. Ela é um encontro marcado. 

E acredito que para o cristão deve ser um encontro desejado. Paulo dizia que para ele a morte era lucro. A morte precisa ser assunto para nossa constante reflexão. 

Eclesiastes 7.1-4 revela que um funeral trás um olhar diferente diante da vida. A teologia mostra-nos que a morte é o resultado catastrófico do pecado do homem. A morte nada mais é, do que o salário do pecado. 


A morte não descansa, não da moleza, não
tira férias. Ela trabalha ininterruptamente

Provérbios 30:15-16 diz que a sepultura nunca diz basta. 

A cada minuto 6 pessoas morrem de diabetes, 
3 pessoas morrem de tuberculose, 
12 crianças morrem de fome, 
e uma pessoa é assassinada. 

Está estatística é ultrapassada, porém mostra-nos uma realidade: A morte está trabalhando. A morte é a grande niveladora da sociedade. Carrega ricos e pobres, homens e mulheres, altos e baixos, leitores e escritores. Devemos sempre ter em mente estás duas verdades: 

A vida passa rápido e a morte é só uma questão de tempo, e que a vida é frágil e a morte imprevisível. 

Mario quintana dizia: Não faças da sua vida um rascunho, pois pode não dar tempo de passar a limpo. 

A morte é implacável e cruel, pois ela transforma a glória do homem sem Deus em pó. O que é um homem morto, senão um CA-DÁ-VER Carne dada aos vermes. Que vamos morrer é indiscutível, mas o que deixaremos de legado? Qual será o nosso epitáfio? 

Termino contando um episódio na vida de São Francisco de Assis. Conta-se que ele estava plantando uma árvore e foi interrompido por uma pergunta: Se o senhor soubesse que iria morrer em cinco minutos, o que faria? 

Ele respondeu: Eu continuaria plantando minha árvore. Quantos de nós poderia dar está resposta tão singela? A vida nada mais é do que um prelúdio para a morte, então, esteja preparado, porque você irá morrer. 

Todos iremos!